Pular para o conteúdo principal

Postagens

Uma Avenida Chamada Brasil

Foto: Avenida chamada Brasil

 Triste realidade na tal avenida com nome de Brasil. Não sei dizer qual reflete a atual realidade. Quem sabe ambas sejam consequências diretas do que está dentro de cada um em que nelas vivem. 
 A cor distrai o olhar, engana pintando o que está feio. O reflexo abstrai de qualquer beleza e choca sendo apenas o que é de fato, a decadência de boa parte da nação.
 Não queria escrever isso, mas é o que cabe por hora.

Negro Gato

Nem sei por onde começar. Essa triste história, que é de amargar. Só sei que o fim dela me fez chorar. É sobre o Negro Gato.
Ao nascer, foi jogado à própria sorte. Escapou por um triz de uma triste morte. Chegando ao seu novo lar firme e forte. Ele é o Negro Gato.
Lá foi cercado de mimos e carinho. Fez daqueles corações o seu ninho.
Ocupou um espaço que até então estava vazio.
É do Negro Gato.

Sempre posou de bom moço.
Poucas vezes armou banzé ou fez alvoroço.
Fazia estardalhaço só na hora que via o almoço.
Mia o Negro Gato.

Um dia ele acordou meio amuado.
Passou o dia todo sumido, literalmente entocado.
Deixando todos apreensivos, muito preocupados.
Cadê o Negro Gato?

E assim foi dia após dia.
Essa triste cena tomou o lugar da alegria.
Fazendo todos chorarem em demasia.
Pobre Negro Gato.

Numa fria manhã ele foi rumo ao infinito.
Deixou um vazio bem maior que o do início.
O silêncio do seu ronronar virou quase um suplício.
E pra não chorar mais, paro por aqui.

Adeus Negro Gato.

Para nossa alegria.

Vejam como são as coisas nesse mundo moderno de "meu Deus". A pressa cotidiana nos faz amar e clamar por tudo o que é "fast", não é mesmo? é fast-food, fast-shop, fast-box, fast-service, fast-sleep, fast-fuck, fast-whatever...

 Essa mania de tudo rapidinho acabou deixando todo mundo mal acostumado, porque transmitiram esse conceito até mesmo para ações psíquicas e cognitivas, tanto que poderíamos dizer que vivemos na "Geração Dory", sim, aquela pequena peixinha azul com memória de 3 segundos. A antes que pensem que entrarei na chatice da discussão política e blá-blá-blá, saibam que não teremos isso, ok? Fiquem tranquilos!

 Sim, citei a Dory e sua memória fugaz porque muita gente sofre desse mal. Até mesmo eu estou perdendo aos poucos a minha capacidade de armazenamento em disco, o que é uma bela merda. Mas ainda bem que temos livros, documentários e também os programas culinários para reavivar nossas memórias.

 Cheguei em casa meio puto após um reparo impro…

Por que tu te calas?

Por que tu te calas?
Fiques ciente que teu silêncio incomoda muito mais gente do que imaginas. Principalmente a quem te conhece, que sabe que tudo o que falas não é demagogia, é anseio pelo bem alheio, desejo de ver todos unindo forças numa só direção.
Seria isso um protesto?
Para que toda essa gente saiba que tu não queres que vivam somente dos restos, como pobres famintos que veneram o dono do circo, mendigando dele migalhas de pão.
Será que isso é um gesto?
Talvez seja mesmo. E por mais que pareça um gesto covarde, é na verdade uma pausa estratégica que tu fazes sem alarde, sem chamar a atenção daqueles que revidam com ódio a todos que coloquem-se em oposição.
Quem sabe temes todo esse retrocesso?
Já que quase todos não pensam mais, só teclam e postam e vivem imersos num ócio social que desagrega mais que a guerra. Passam horas replicando falsas verdades tão palatáveis capazes de enganar desde a criança mais pura até o calejado ancião.
Até quando manterás esse silêncio?
Espero que sejas bre…

Exercício de fé.

"Oração para um amigo audaz"

 Acabo de constatar que sou um homem de pouca fé. De todas as sandices gastronômicas que fiz, e saiba que apesar dos pesares foram pouquíssimas, jamais ousaria misturar manga com leite, mesmo sabendo ser uma das mais curiosas e divertidas crendices de outrora.

 Minha fé cai por terra diante de tal situação. Resta-me rezar pela tua alma, mesmo sabendo que ela permanecerá no teu corpo por décadas ainda. Mas tu sabes como são os ensinamentos da infância, não é mesmo? Somos quase contemporâneos, e por tal motivo jamais transporíamos barreiras impostas como cláusulas pétreas de uma constituição familiar mais antiga que qualquer ancião que nossa vã filosofia genealógica possa questionar.
Entre devaneios e divagações, restou apenas a oração do amigo. Aquela que pede a Deus para proteger o audaz amigo que ousa beber manga com leite no desjejum.
Rio, para não chorar rios de lágrimas de risos.

Apesar de cigano.

Mesmo cheia de contrastes e mazelas, ainda te amo e não sei o que seria de mim sem você, seria triste.  Mesmo de coração partido, resisto, insisto, afinal você existe.  Penso sempre em te deixar, viajar, ir morar em outro lugar, mas desisto porque amo muito tudo isto.
 Espero que um dia tudo possa mudar e você possa voltar a ser apenas a "princesinha do mar", sem arrastão, sem tragédia, sem choro na multidão.  E quem sabe também deixe de ser palco pra essa gente vil que adora explorar tua beleza, sem se dar conta que o saldo de tanta maldade e ingratidão é apenas o medo e a tristeza.
 Numa canção do Vercillo tem uma estrofe que me emociona e me faz pensar em tudo de bom que tu traz à tona quando te fotografo, quando penso em ti.   Me emociono sim, mesmo quando dizem que emocionar-se com música e fotografia é coisa piegas e cafona.   Gente boba essa que não gosta de expor o que sente e que faz de toda emoção um sentimento latente. Perdem a chance de partilhar com o mundo algo que …

Como seria?

Como seria?

 Se por acaso hoje fosse o seu dia? Seria o dia do seu nascimento, da celebração de sua vinda, da sua vida, do seu firmamento.
 Com certeza teria choro, choro de alegria. Teria festa animada e gente querida. E eu veria pessoalmente aquilo que chamam de "sopro da vida". Veria, seria, mas não foi.   E não foi por vários motivos. Muitos dos quais já não fazem sentido falarmos, questionarmos, duvidarmos. Simplesmente não faz, não fez.
 Então me pego a imaginar sobre como seria se você tivesse crescido? Seria capaz de grandes feitos? Seria sagaz ou teria defeitos? Seria aguerrido, feroz ou destemido? Não sei ao certo. Apenas faço uma ideia.   Divago nas possibilidades, imagino coisas bonitas, sentimentos diversos, frivolidades. Mas não passará disso, imaginação. Seria não, não foi.
 Me resta pensar em como seria se você tivesse nascido de fato? Se por um acaso não tivesse morrido no parto? Como seria? Não sei, de coração não sei mais, mas imaginava.   Imaginava sobre o qu…